quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

4

Tudo começou por um simples brincar, um comentário entre amigas. Seguiu-se para um curiosidade, pois se uma dizia que "aquele menino bonito só dava tampas", a miss experiência tinha que comprovar, para ver se realmente teria encontrado alguém à altura de uma disputa séria. No entanto aquele primeiro  e enorme sorriso, aqueles olhos que pareciam pedacinhos do céu, bem, ele era mesmo perfeitinho. A meu ver, derreteu logo um pouco do gelo a suposta "durona" do grupo. Voltei a ficar firme, afinal, era um desconhecido. Tentei não demonstrar o mínimo interesse nas conversas que aquele individuo estava a ter, mas a verdade, é que cada vez que o olhava, os meus olhos ficam presos nos dele, era estranho. Pensei que era uma anormal, na verdade até sou, mas naqueles momentos sentia-me especialmente anormal ou uma anormal especial. A verdade é que comecei a achar alguma piada ao loirinho, mas nada de passar isso cá para fora, até porque o restante grupo delirava com ele, e eu não queria de forma alguma ser mais uma na fila de espera de alguém. Aquela nossa despedida, marcou-me, e sei que a ele também. A verdade é que elas ficaram chateadas comigo, porque diziam que caso eu tivesse dado o dito inocente beijinho na face ao "Afonsinho" ele também se teria despedido delas... mas eu argumentava que não o conhecia de parte nenhuma, e que não cumprimentava  desconhecidos. Contudo por dentro, ri tanto, aquele beijo dele e o olhar ao ir-se embora, deu-me um gozo fenomenal. Ainda consigo sorrir ao escrever isto. Esperei pelo outro dia, sabia que o ia ver. Elas não paravam de falar nele, até se davam ao trabalho de escrever uma lista de verbos não muito bonitos, tudo só para ele, foi uma longa noite.Assim, rapidamente amanheceu. Foi a primeira pessoa que vi mal cheguei lá, e o primeiro pensamento que tive, foi que aquele rapaz tinha um acordar muito diferente do meu, e enquanto ele lançava eu tentava adormecer de novo, ao sol. Senti uma pancada na cabeça, era ele, que maneira estranha de dar os bons dias. Acho que não consegui sorrir, só resmungar. Quem diria que meses mais tarde, desejava acordar ao lado daquele tonto todos os dias? Ou que era aquele loirinho que aturava o meu mau humor matinal? Ele tinha procurado por mim no fb, uaaauu senti-me bem, e ri-me, afinal procurou em vão. O dia passou. Contudo a semana custou a passar. Irritei-me comigo mesma, e estive quase para reativar a conta do facebook, só para conseguir picar-me um pouco com aquela coisa. E chegou o tal dia, ia voltar a estar com ele, tinha a certeza. Passei um dia fantástico na presença daquela criatura estranha que estranhamente também, estava a gostar de conhecer. Ele fez questão de me mostrar uma foto que o pai dele tinha tirado, a mim, para mostrar a senhora mãe com que menina o filho andava a falar, é pá, achei estranho mas ri com isso, até porque a foto estava mesmo feia, e pronto, pelo menos o meu lado pior a mãe dele já conhecia. Nesse dia, assim por mero acaso ou não, ganhei uma camisola. A verdade é o que senhor decidiu despir-se a minha frente para jogar e deixar a camisola comigo, eu muito atenciosamente escondia debaixo da areia. Por esquecimento fiquei com ela, e o menino á noite foi falar com uma das minhas amigas por isso, por momentos pensei que fosse meter conversa com ela. No dia seguinte lá passei o dia com ele outra vez, começava a habituar-me a ele, às secas dele, às gargalhadas dele, aquele jeito, até me habituei a comer areia, naqueles dias. Voltei a ficar com a camisola, e a verdade é que nessa noite deu jeito. Uma noite na praia, inevitavelmente tive que a vestir, devido ao excesso de frio, apesar do facto que estávamos em pleno verão. Passei a noite a pensar e imaginar o dia seguinte, afinal podia ser a ultima vez que estava com ele. Tentei encontrar uma forma discreta de lhe sacar o numero ou melhor, de ele sacar o meu, porque eu não lhe ia pedir o numero, demonstraria demasiado interesse, não me agradava essa ideia. Um novo dia chegou e como sempre, foi dos primeiros a chegar também, e lá estava eu, vagabunda, com frio, olhando para o mar, com um humor divinamente assustador. Ele sentou-se ao meu lado, lembro-me como se fosse hoje, e interrogou-me o porque de estar com a sua camisola, eu lá expliquei que era só devido ao frio, claro que sim... Nesse dia, demos grandes passeios junto da agua do mar, e embora o insultasse quando me agarrava, ou me dava beijos, eu gostava, e sentia-me segura nos braços dele. Era tão grande ao pé de mim. Lá arranjei maneira do menino me pedir o numero, não, melhor, escrevi no telemóvel dele "gosto muito de ti <3" e mandei para mim, vá, dois em um, basicamente, tinha o numero dele, ele o meu, e declarou-se a mim logo né? Nesse dia despedi-me dele, como se fosse um amigo já, dei-lhe um beijinho. De seguida mandei-lhe mensagem porque acidentalmente, voltei a ficar com a camisola dele, e adorei quando ele disse que tinha feito de propósito para eu ficar com ela. Daí em diante falávamos desde que despertávamos até o sono nos levar. E assim esta história se alongou...ainda hoje, sorriu ao lembrar, ao escrever...és grande parte de mim. E muito sinceramente, espero que o final desta nossa história, não tenha ainda sido escrito. Gosto de ti desde aqui até à lua, porque quem corre por gosto não cansa.

16 comentários:

  1. A vossa história nunca vai ter fim enquanto pelo menos um de vocês acreditar. Ama-lo.
    NUNCA DESISTAS DAQUILO EM QUE ACREDITAS, NUNCA.

    ResponderEliminar
  2. mas pessoalmente digo-te, não é bom estar presa alguém por mera dor, por mera memória de quão bom foi o passado. há que fazer do presente tão bom ou melhor do que aquilo que já passou. e quando não é isso que acontece, alguma coisa não está bem...!

    ResponderEliminar
  3. não deixes que te consuma a alma, não deixes...! tens tanto para viver, precisas de força, de auto disciplina, de aprender que a felicidade, antes de estar nos outros, está em ti - e só assim é possível encontrá-la em mais alguém! tem força e fé, um beijinho:)

    ResponderEliminar
  4. Sim acho que deves lutar por isto se é nisto que acreditas!
    Não, o meu nome é Beatriz, mas porquê a pergunta? :p

    ResponderEliminar
  5. Oh tenta concentrar-te no que ele quer! Mas nunca te esqueças se o que o teu coração quer te estiver a destruir não sigas por esse caminho. Não, por favor. Só irás fazer mal a ti própria,! Precisas de ficar bem pequena
    E está lindo lindo. Quando menos pensamos o que escrever mais bonitos e sinceros os textos ficam.

    ResponderEliminar
  6. Oh isso é uma contradição! Parece que te quer manter por perto mas não tem responsabilidade suficiente para ter uma pessoa como tu ao lado. Isso é tão estupido... Porque magoa-te...

    ResponderEliminar
  7. Ele tem de se decidir senão vai andar sempre assim no ''anda, não anda''... :s

    ResponderEliminar
  8. Fui operada ao pé e espero não ter de ser operada outra vez!
    Amanhã vou saber como esta o pé, mas ainda tenho uma longa recuperação a percorrer...

    ResponderEliminar